O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

domingo, setembro 04, 2005

Sugestão de Leitura: "Imagens de Praga" - John Banville




Uma viagem honesta a Praga

Rui Azeredo

“Imagens de Praga”, do irlandês John Banville, é o terceiro volume da colecção “O Escritor e a Cidade”, em boa hora lançada pelas edições ASA. Após Paris (“Os Passeios de um Flâneur” – Edmund White) e Florença (“Um Caso Delicado” – David Leavitt), chega a vez de aceitarmos Banville como orientador de uma “viagem” a Praga, a capital checa, mas desde já com o aviso que esta obra nada tem a ver com um guia turístico.
Ficamos a conhecer Praga, sem dúvida, mas não a dos postais ilustrados, antes a verdadeira, bem mais cinzenta, mas nem por isso menos atraente – só depende do que procuramos.
O começo da obra é algo desanimador para quem espera uma Praga deslumbrante. John Banville descreve a cidade tal como a conheceu, ainda na década de 80, antes da abertura do Leste ao Ocidente Descreve assim um povo oprimido e deprimido, o que se reflecte na cidade e numa escrita com travo de desilusão, consequência da própria desilusão do autor.
Mas, a verdade é que aos poucos se vai gostando cada vez mais desta Praga pragmática, pelo seu mistério, pela sua tristeza, melancolia, fatalidade. Para Banville Praga é propensa à tragédia, sendo o exemplo mais recente as terríveis cheias do rio Vlatva em Agosto de 2002.
Uma das opções, bem sucedidas, do autor é contar a história da cidade através das histórias de diversas personalidades que lá viveram. Para além do inevitável Kafka, travamos também conhecimento como o fotógrafo Josef Sudek (autor da foto da capa do livro), o imperador Rodolfo II, o astrónomo Tycho Brahe (que viveu entre os séculos XVI e XVII), curiosamente todas personagens muito pitorescas com manias incríveis.
Mas Banville opta por misturar estes aspectos mais folclóricos com episódios que ele próprio viveu na cidade, antes e depois da queda do Muro de Berlim. Assim, dás-nos a conhecer alguns momentos, conversas principalmente, que viveu em Praga durante as suas visitas à capital checa. É dessa forma que conhecemos os cidadãos comuns de Praga e, através das vidas deles, a realidade desta cidade.
O próximo volume da colecção “O Escritor e a Cidade” será “30 Dias em Sydney”, de Peter Carey.
John Banville, nascido na Irlanda em 1945, estreou-se na escrita em 1970 com o romance “Long Lankin”. Posteriormente lançou “Doutor Copérnico”, “Kepler” e o “Livro da Confissão”.
“Imagens de Praga” está à venda por 18 euros e tem 272 páginas.

1 Comments:

  • At 04 setembro, 2005 20:34, Blogger Manuela Pinto said…

    Obrigada Rui por esta sugestão de leitura. Sempre tive curiosidade sobre Praga, mas sobre a cidade em si e pelas pessoas que a fazem, ao contrário do que, normalmente, nos dizem os guias turísticos. Podes apostar que amanhã vou comprar o livro. Beijos para a Luana, gatos e restante bicharada!!!

     

Enviar um comentário

<< Home