O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

sexta-feira, setembro 23, 2005

Turismo rural combate desertificação



As actividades rurais são potenciadoras do turismo e devem ser uma aposta das autarquias do interior para combater a desertificação, segundo o Secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e das Florestas.

Francisco Manuel

Numa visita à Feira das Colheitas, que arrancou anteontem em Arouca, Rui Gonçalves visitou os vários stands de artesanato da Alameda, e no final foi inaugurar o "Espaço de Informação, Divulgação e Exposições", onde destacou a importância de iniciativas como aquela que tinha visitado instantes antes. "É importante que certas iniciativas ajudem a combater a desertificação do interior", afirmou o governante. Considerando que Arouca é um concelho "cheio de sorte, porque tem conseguido potenciar as suas raízes", Rui Gonçalves, lembrou que são iniciativas como a Feira das Colheitas que "atraem os turistas", dando como exemplo a França.

"O país que mais turistas recebe todos os anos é França, e não porque tenha praias fantásticas, mas porque tem um mundo rural fantástico", disse. Por isso, enfatizou, "o turismo e a agricultura devem ser parceiros naturais para o desenvolvimento". Além de iniciativas onde se promovam as actividades económicas ligadas à agricultura, Rui Gonçalves quer que as autarquias do interior comecem a também a fazer fortes apostas na divulgação da sua gastronomia.

Na inauguração do "Espaço de Informação, Divulgação e Exposições", o presidente da Câmara, Armando Zola, reafirmou a "vontade" que o seu Executivo teve na recuperação de edifícios e casas com valor patrimonial. "Esta casa era uma oficina de motorizadas, em terra batida, com o piso cheio de óleo", destacou, lembrando outros edifícios adquiridos pela autarquia e que entretanto foram recuperados, bem como o património histórico da vila serrana.

Antes, o presidente da Região do Turismo da Rota da Luz, tinha já tecido rasgados elogios à Câmara de Arouca, por ter recuperado esta casa do século XVII, agora transformada num espaço de referência da vila. "A recuperação económica do país também passa pelo sector do turismo", alertou Encarnação Dias, advertindo os governantes que "não chega dizer que é preciso apoiar o turismo, é preciso investir".
´
A Feira das Colheitas de Arouca, que encerra amanhã, é um certame anual, promovida pela autarquia local, para promover a agricultura, artesanato e gastronomia local, atraindo todos os anos milhares de visitantes, que "emprestam" à vila um colorido invulgar, e pouco usual, por causa do síndrome da interioridade que afecta esta vila serrana, apesar de distar pouco mais de trinta quilómetros do litoral.