O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

quarta-feira, setembro 21, 2005

PSD de Ovar quer criar 1.500 postos de trabalho com pólo tecnológico


O PSD de Ovar apresentou ontem à noite em Ovar projecto Cidade do Futuro - Pólo Tecnológico de Ovar - que irá criar 1.500 postos de trabalho a médio prazo, segundo Álvaro Santos, candidato à presidência da Câmara de Ovar.

Francisco Manuel


“Esta é uma ideia que precisa de ser desenvolvida, mas que o PSD tem grande vontade de a pôr em prática”, afirmou o candidato social-democrata perante mais de meia centena de pessoas que se deslocaram ao Centro Paroquial de S. João. António Tavares, director do TECMAIA - Parque de Ciência e Tecnologia da Maia, sublinhou que esta “não é uma proposta demagógica” e deu como exemplo o próprio TECMAIA, que serviu para combater o desemprego na Maia, após a “Texas Instruments” se ter deslocalizado para fora de Portugal. “Estou certo que até José Sócrates votaria a favor deste projecto”, afirmou, alegando que ele “é a alavanca para o tão falado choque tecnológico”. No entanto, tal como já tinha feito Álvaro Santos, advertiu que este é um projecto a médio prazo, e cuja primeira fase deverá demorar cerca de cinco anos até estar concluída.
O projecto apresentado pelo candidato à Câmara, deverá ser implementado entre a EN109 e a linha dos Caminhos de Ferro, abrangendo os freguesias de S. João e Ovar, numa área total de 200 mil metros quadrados, e segundo Álvaro Santos deverá empregar “entre mil, a 1.500 pessoas”.
A Cidade do Futuro – Pólo Tecnológico – é a “arma” do PSD para combater o desemprego no concelho, que tem uma taxa de cerca de 20%, e atrair “pequenas empresas de base tecnológica e quadros altamente qualificados. Álvaro espera que o Pólo Tecnológico de Ovar se constitua “como um espaço incubador de novos projectos, de transferência de tecnologia, e alojamento de empresas, capaz de projectar o concelho para um novo patamar de desenvolvimento”.
Os objectivos, explicou, são “criar um conjunto de projectos âncora, mobilizadores do desenvolvimento tecnológico, empresarial e territorial do concelho e da região”. Adiantou, ainda que espera “mobilizar toda a população do concelho com o objectivo de gerar, desenvolver, difundir e valorizar o conhecimento e a inovação”.
Como parceiros neste projecto, o PSD aponta a Câmara Municipal e Juntas de Freguesia, as Universidades de Aveiro e Porto, associações empresariais, instituições financeiras, e, claro está, as empresas.
“Hoje pode parecer um sonho, mas amanhã será uma realidade”, afirmou Álvaro Santos, comparando este projecto como a primeira viagem à lua, que só foi concretizada, alguns anos após o sonho do homem. No entanto, ressalvou, que é preciso começar a dar hoje os passos, apontando como fundamental a alteração do Plano Director Municipal, e as negociações com os proprietários dos terrenos em causa.
Mais uma vez sublinhou que o Pólo Tecnológico de Ovar é um dos seus dez compromissos eleitorais.