O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

segunda-feira, setembro 12, 2005

Ovar: PS contra valorização da Base de Maceda

O candidato socialista à Câmara de Ovar garante que não irão contar com ele e com a sua equipa para a viabilização de um projecto de valorização da Base Aérea de Maceda que é defendida pelo PSD no seu programa eleitoral.


Francisco Manuel


“Não contem connosco para projectos para projectos ou ideias que hipotequem a qualidade de vida do nosso concelho”, sublinhou Manuel Oliveira no seu discurso de apresentação do programa eleitoral socialista, que decorreu na passada quinta-feira no auditório da Junta de Maceda. Antes o cabeça de lista “rosa” anunciou que estava em negociações com a Força Aérea para a redução da área de servidão e protecção da Base de Maceda (AM1), para logo a seguir lançar um “ataque” ao PSD, embora não tivesse referido o nome do partido: “Tenho ouvido umas coisas a propósito disto, mas não contem connosco para ideias e projectos deste tipo”, afirmou, numa alusão à pretensão do PSD em valorizar esta base militar.

Isso mesmo Manuel Oliveira confirmou no final da cerimónia, vincando que esta é uma ideia “com algum irrealismo”, lembrando que a AM1 está sob a alçada da NATO que não pretenderá abandonar estas instalações. No entanto, afirma que a ideia “não é realista por enquanto”, admitindo que o poderá ser “daqui a vinte ou trinta anos”. Por outro lado afiança que é “determinantemente contra um terminal de cargas e descargas e tudo o que prejudique a qualidade de vida do concelho”.

Quem também não “poupou” o PSD foi o cabeça de lista à Assembleia Municipal, Manuel Malícia, que se dirigiu ao mandatário dos socialistas, Arala Chaves, para afirmar que “há outros partidos que têm mandatários às fracções, ou às metades”.

recorde-se que o PS tem afirmado que Luís Filipe menezes não é na verdade o mandatário da campanha dos social-democratas vareiros, apesar do presidente da Câmara já ter afirmado publicamente ser mandatário político e que estava a dar a cara por esta candidatura, por acreditar nela.

Depois de apresentada toda a equipa aos vários órgãos autárquicos, Manuel Oliveira começou por falar dos seus seis meses na presidência da Câmara - sem nunca referir os oito anos que ficaram para trás como vereador e vice-presidente do Executivo de Armando França - para depois começar a falar das propostas que tem para o concelho.

Programa não é simples promoção

Segundo o candidato a apresentação das propostas socialistas “num contexto pré-eleitoral pode parecer mais um acto rotineiro, de simples promoção ou propaganda, mas não é”. Sublinhando que o documento, distribuído aos mais de duas centenas de apoiantes (dados da organização) que encheram o auditório, “não é apenas um programa eleitoral, mas um programa de acção”.