O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

quarta-feira, setembro 14, 2005

Operário queimado em explosão numa fábrica de cortiça

Uma explosão, seguida de incêndio numa colmatagem de uma fábrica de cortiça em Mozelos, Santa Maria da Feira, provocou ferimentos graves num operário de 30 anos que ficou com mais de 50 por cento do corpo queimado.

Joaquim Fernandes Sousa Carvalho, de 30 anos, sofreu queimaduras do terceiro grau no rosto, membros superiores e tronco, e foi assistido no Hospital de S. Sebastião na Feira, mas, dada a gravidade dos ferimentos, seria transferido para o Hospital Universitário de Coimbra, ainda na mesma tarde.

Joaquim carvalho era o único funcionário a trabalhar naquela secção que faz colagem de resíduos de cortiça para rolhas, quando cerca das 13h25 se deu a explosão, seguida de incêndio. As chamas propagaram-se ao estaleiro contíguo onde uma grande quantidade de rolhas e fardos de cortiça, que também seriam consumidos pelo fogo..

A colmatagem da Lamozel, ficou destruída, mas não irá impedir o funcionamento da empresa. Desconhecem-se, ainda as causas do acidente, e a empresa não se mostrou disponível para prestar quaisquer declarações.
No local estiveram os bombeiros de Lourosa com 17 homens, apoiados por cinco viaturas.

Francisco Manuel