O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

terça-feira, setembro 06, 2005

Estarreja: Morto à pancada



Um vendedor ambulante de Avanca, Estarreja, foi assassinado à pancada supostamente por um pedreiro com quem se envolveu numa briga. Tudo terá começado por causa de uma bicicleta que era usada pelo agressor, mas há quem aponte também motivos passionais.

Francisco Manuel

O crime ocorreu anteontem cerca das 19h40, por cima de um viaduto da A29, no Lugar de “Boca do Monte”, quando a vítima, Manuel Fonseca, conhecido por Manel da “Guisa”, de 53 anos, se envolveu numa briga com JM de 28 anos, que acabaria por o agredir a murro e pontapé até à morte. “Só vimos os dois homens à pancada, o mais novo, ia atirar Manel para a variante, mas começamos a gritar e ele recuou”, explicaram ao CM algumas testemunhas que estavam a menos de uma centena de metros de onde tudo se passou.
Contam que quando chegaram ao local, JM estava a pontapear, e a calcar a vítima que já se encontrava inconsciente no chão. “Ele estava muito ofegante, e quando os bombeiros chegaram disseram logo que ele não deveria sobreviver”, explicam.
Segundo os vizinhos, o agressor vivia em casa da vítima, e conta uma amiga da família, que a discussão terá começado em casa “porque o Manel da ‘Guisa’ tinha-lhe dito para ele não pegar mais na bicicleta”. No entanto, JM ignorou esta ordem em pegou mesmo na bicicleta, levando a vítima a ir atrás dele, abordando-o no viaduto. Nessa altura terá saído do carro, e terá sido ele a dar o primeiro murro.
Já com a vítima prostrada no chão, o agressor escapou de bicicleta para um campo de milho, acabando por ser detido pouco depois pela GNR de Avanca. Ontem depois de interrogado pela Polícia Judiciária, foi presente ao Tribunal de Estarreja, desconhecendo-se, até à hora do fecho desta edição qual a medida de coacção aplicada.
De acordo com os moradores da “Boca do Monte”, os dois andavam sempre juntos, mas discutiam frequentemente. “Aliás, o Manel da ‘Guisa’ era agressivo e provocador”, afirmam, acrescentando que usualmente também batia na companheira com quem tinha uma filha de 12 anos. Dizem também que depois de dar guarida a JM, Manel da “Guisa” começou com desconfianças por causa da mulher que terá cerca de 40 anos. “Eles bebiam muito, e muitas vezes embebedavam-se”, acrescentam.
A vítima seria transportada para o Hospital Vicente Salreu em Estarreja, mas acabaria por morrer, supostamente por causa das lesões internas que lhe terão provocado hemorragias, algo que só a autópsia que será efectuada no Hospital de Aveiro poderá confirmar.
Manel da “Guisa” vendia louças de barro (vasos) numa pequena tenda na EN109, junto à rotunda de acesso à A1 e A29.

1 Comments:

Enviar um comentário

<< Home