O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

segunda-feira, setembro 05, 2005

Encapuzado agrediu e tentou violar sexagenária






Uma sexagenária de Arada, Ovar, foi agredida, ontem, em sua casa por um encapuzado que também a tentou violar. O agressor fugiu assustado pelos gritos da vítima e pela chega do irmão dela, não chegando a consumar a violação.




Francisco Manuel




“Eu gritei muito, e o meu irmão apareceu, a rastejar e atirou-lhe com uma cadeira às pernas”, explica a vítima com a cara toda marcada pelos hematomas resultantes da agressão. Tudo se terá passado cerca das 15h30 quando o agressor, supostamente um vizinho, empregado da construção civil, que terá entre 30 a 40 anos, entrou na casa, presumivelmente pela porta das traseiras e foi ter com M.C. à cama onde estava a descansar. Ela, alertada pelos passos, levantou-se, mas deparou-se com o agressor que a atirou para o chão e a começou a despir da cinta para baixo.

Aos gritos, e tentando lutar contra o “homem forte e moreno”, a vítima conseguiu evitar a violação, mas não as agressões, ao mesmo tempo que o irmão, um deficiente mental e físico, de 60 anos, que está ao seu encargo, se arrastava até à porta do quarto. “"Ele atirou-me para o chão e começou a despir-me”. Pelo quarto ficou o sangue espalhado da mulher de 62 anos inválida.

Ele (o irmão) atirou-lhe com uma cadeira às pernas, mas ele agarrou na maçaneta da cama e mandou-lhe na cabeça”, conta M.C., explicando que ao fugir, pela porta das traseiras, deixou ficar um chinelo.

Envolta numa toalha, veio pedir socorro à porta e foi uma vizinha que chamou os bombeiros e a GNR. A vítima, e o irmão, foram transportados ao Hospital de Ovar onde receberam tratamento hospitalar. M.C. foi também submetida a exames médico-legais, no Gabinete de Medicina Legal do Hospital de S. Sebastião na Feira.

Entretanto, a Polícia Judiciária, foi a casa do suspeito, Augusto J.M., que estava deitado na cama acabando por o deter, segundo os populares. Dizem também, alguns vizinhos, que ele apresentava um ferimento recente, supostamente provocado pela cadeira atirada pelo irmão da sexagenária. A descrição física e a tez morena, correspondem à fisionomia do suspeito.
Segundo a vítima e alguns populares, o suspeito, que mora a escassos metros da casa dela, tem um filho e já foi casado.

Terceiro caso este ano no concelho

M.C. é a terceira vítima de um violador no concelho este ano.
Os outros dois casos, ocorreram em Esmoriz no passado mês de Março.
Num dos casos a vítima, uma mulher de 79 anos foi violada e agredida na sua residência por um homem de cara descoberta. A senhora vivia sozinha e o assaltante entrou por uma janela das traseiras depois de ter escalado o muro da vivenda. O crime hediondo ocorreu no escuro da noite, cerca das 23 horas, e por isso a senhora não conseguiu ver a cara do seu agressor, que a ameaçou caso ela se voltasse.

Menos de um mês volvido supostamente o mesmo violador voltou a “atacar”, desta vez uma idosa, com 81 anos.
O violador entrou, novamente, por uma janela, foi ter com a vítima ao quarto onde a violou e agrediu, conforme provam os exames médico-legais.

Apesar do “modus operandi” ser semelhante, as autoridades não correlacionam este caso de Arada com os anteriores.

1 Comments:

  • At 05 setembro, 2005 21:01, Blogger jpmeneses said…

    Então não identificam a senhora mas põem a fotografia?!
    Mais, qual é o interesse de colocar uma foto de uma vítima de agressão sexual?
    abraços

     

Enviar um comentário

<< Home