O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

quinta-feira, setembro 22, 2005

E o futuro?

Utópica esperança a minha, de ver aproveitada uma oportunidade única para discussão do futuro de "O Comércio do Porto" e, já agora, "A Capital". Um imenso vazio, o debate que não o foi no "Clube dos Jornalistas". A começar pela apresentadora, passando por todos os intervenientes - sim, todos -, uma tremenda decepção. Esperava ficar esclarecido. Continuo à espera...

4 Comments:

  • At 22 setembro, 2005 08:48, Blogger Francisco Manuel said…

    Provavelmente não era para esclarecer. Era para preencher.
    Foi uma programa cheio de nada.
    Afinal as perguntas do director, que são as de todos nós, só conseguiram ser feitas no final do programa, mas ficaram sem resposta.
    Foi um presidente do sindicato no seu melhor, a propagandear o seu produto, num vazio de informação, ao nível dos melhores políticos quando não interessa dizer o que realmente se passa.
    Já agora, estou farto de ouvir falar apenas dos 150 trabalhadores. E os outros, não contam, Sr. presidente?
    Eu já sabia que não.

     
  • At 22 setembro, 2005 14:31, Blogger Guilherme Soares said…

    O modelo do programa (o 'ter' de haver depoimentos pré-gravados, que introduzem quebras na discussão) não ajuda. O debate (?!?) foi uma desilusão, de facto. Para nós, para quem já conhecia minimamente o processo, então, não deu notícia...
    Da parte da cooperativa as mesmas evasivas de sempre... estudos... manifestações de intenções... tudo muito secreto... "processo produtivo colectivo"... blá, blá, blá...

     
  • At 22 setembro, 2005 14:54, Blogger dora said…

    Eu também fiquei decepcionada e a saber o mesmo. A Arminda falou muito conseguindo dizer nada e, quanto à forma de gestão cooperativa, não fiquei nada esclarecida.
    Nem quanto a isso, nem quanto às negociações com a Prensa Ibérica (cede o título? não cede o título?), quanto ao envolvimento dos ex-trabalhadores ("largas dezenas"?, o que são "largas dezenas"?), quanto à relação entre as redacções do dois jornais, quando ao projecto editorial que se prepara (jornal do norte, jornal do Porto?), quando será lançado...
    Todos os intervenientes foram lamentavelmente nebulosos e a imagem que passou é que ninguém parece saber realmente o que quer fazer.
    Foi uma boa oportunidade perdida, infelizmente. Mesmo assim, continuo a desejar-vos todas as felicidades em novos projectos.

     
  • At 23 setembro, 2005 02:02, Blogger Jorge said…

    Pois...
    Uma representante da cooperativa que nada disse. Aliás não sabia, porque aguardava instruções da Soeiro Pereira Gomes...
    O Alfredo Maia, que conheci com o «Povo Livre» debaixo do braço no seu melhor. Domingos Abrantes não o suplantaria.
    Um docente não sei bem de quê a dizer umas baboseiras.
    Uma "moderadora" cujo papel foi hilariante.
    Só não sei como é possível ser emitido um programa na tv pública sem qualquer interesse ou conteúdo. O clube de jornalistas está definitivamente vendido...

     

Enviar um comentário

<< Home