O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

segunda-feira, setembro 19, 2005

Assaltante de serralharia estava em prisão domiciliária

O Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da GNR de Gaia deteve ontem três irmãs de etnia cigana em flagrante quando assaltavam uma serralharia em Pedroso. Um dos detidos estava em prisão domiciliária, sem pulseira electrónica, e outro estava em liberdade condicional.

Francisco Manuel

Hoje os três irmãos de 25, 32 e 34 anos, foram presentes ao Tribunal de Instrução Criminal (TIC) do Porto, que decretou como medidas de coação apresentações diárias a dois deles, e manteve a prisão domiciliária do terceiro de 32 anos. Segundo apurou a nossa reportagem, aquele que se encontra em prisão domiciliária, não estava sujeito a vigilância electrónica, e só agora lhe foi “aplicada” uma pulseira electrónica. Como a sua residência, no Bairro Social do Crasto, não tem telefone, irá ser o Instituto de Reinserção Social a instalá-lo, ficando também responsável pelo pagamento da electricidade. Este suspeito, está também indiciado em mais de quatro dezenas de processos e ainda na passada semana foi reconhecido por várias vítimas como sendo o autor de vários furtos por esticão. Também já cumpriu 12 anos de reclusão por crimes de furtos e roubo qualificado.
O mais novo dos irmãos, encontra-se em liberdade condicional há cerca de um mês depois de ter cumprido uma pena de prisão por vários furtos qualificados e roubos à mão armada. Além da detenção efectuada por agentes do NIC e do posto dos Carvalhos, foi também apreendida uma carrinha de caixa aberta, já referenciada num outro furto de sucatas e alumínios ocorrido na passada semana.