O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

segunda-feira, agosto 01, 2005

Tiraram-me de casa

O meu primeiro dia no COMÉRCIO é recordado não só por mim, como por muitos dos meus colegas. Vivia-se um dia muito complicado e eu caí aqui completamente de pára-quedas, sem saber nada do que era esta vida, mas com muita vontade de trabalhar. O meu primeiro dia foi o primeiro dia de uma direcção interina, que começou a exercer funções de uma forma algo repentina. Mas sobre isso é melhor nem falar.
Até hoje não consigo explicar porque quis vir para aqui, em vez de ir para uma qualquer outra redacção em que o meu nome tivesse mais projecção. Mas sempre confiei no meu instinto e este dizia-me para vir para cá. É certo que não era a melhor escola de jornalismo para quem estava a começar (pelo menos, naquele momento), mas até hoje liga-me aos meus colegas essa amizade umbilical por terem sido os meus grandes professores. Professores, camaradas e amigos. Sinto que uma parte de mim morreu e mesmo que o COMÉRCIO reabra e eu vos reveja, ninguem poderá repor essa parte de mim. É como se a minha família se estivesse a desfazer. Sim, porque durante três anos, vocês foram mais que colegas e amigos… São família e esta a minha casa. Por isso, recuso-me a sair daqui até que me despejem definitivamente. Até aí, permaneceremos aqui e unidos como sempre fomos.

2 Comments:

  • At 02 agosto, 2005 03:17, Blogger Guilherme Soares said…

    Um beijo para a minha companheira de incertezas e descobertas e alegrias e tristezas e desabafos e cumplicidades e apoio e camaradagem sem limites. Um beijo para a menina Marlene!

     
  • At 03 agosto, 2005 12:50, Blogger Marlene Silva said…

    Um beijo para ti também por me ajudares a manter os pés no chão com a tua sensatez, pela amizade de sempre e que sempre vou guardar comigo. Gosto tanto, tanto de ti, que por vezes pensaram que era apaixonada :) Mas sou, porque gostarei sempre de ti, ainda que como amiga (que é bem melhor que outras paixões)

     

Enviar um comentário

<< Home