O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

sexta-feira, agosto 19, 2005

Santa Maria da Feira: Patrulha da GNR atingida a tiro

Francisco Manuel

Uma patrulha da GNR de Lamas, Santa Maria da Feira foi hoje alvejada a tiro e abalroada por cinco indivíduos apanhados em flagrante a furtar as jantes de um automóvel em Nogueira da Regedoura, informou fonte policial. Os suspeitos, escaparam numa carrinha furtada na mesma noite em Cesar, Oliveira de Azeméis, abandonando-a mais tarde na zona de Albergaria-a-Velha depois de lhe atear o fogo.
Segundo a fonte eram cerca das 5 horas quando os suspeitos foram detectados no Lugar de Pousadela, Nogueira da Regedoura a furtar as jantes de um automóvel que ali estava estacionado. Ao avistar a patrulha policial encetaram uma fuga, apesar dos tiros intimidatórios da GNR. Imediatamente foi montado um dispositivo policial para os deter, mas curiosamente seria a mesma patrulha que os viria a detectar novamente, ainda em Santa Maria de Lamas, tentando a sua intercepção, atravessando o carro à frente.
No entanto, os suspeitos, não só não pararam, como dispararam dois tiros, de revolver, ou pistola, contra a GNR atingindo o carro da patrulha, antes de o abalroar e se colocar em fuga. A carrinha, cuja marca a GNR não quis divulgar, foi encontrada totalmente queimada em Albergaria-a-Velha. Segundo a fonte a carrinha foi furtada na mesma noite em Cesar.
Esta é a segunda vez, este mês que uma patrulha da GNR do norte de Aveiro é alvejada a tiro em situações que aparentemente não o justificam. Recorde-se que no passado dia 8, uma patrulha da GNR de Lourosa, também no concelho de Santa Maria da Feira foi alvejada a tiro de caçadeira esta madrugada quando perseguia um automóvel suspeito, que acabou por escapar.
Também na altura os suspeitos eram cinco e seguiam a bordo de um automóvel ligeiro, cuja marca a GNR não quer revelar, quando foram mandados parar pela patrulha da GNR, naquilo que seria uma mera operação de rotina. Depois de perseguidos acabaram por disparar um tiro de caçadeira em direcção ao jipe da GNR estilhaçando o pára-brisas, mas sem atingir nenhum dos agentes que acabariam por abortar a perseguição, depois de perder de vista os suspeitos.
Estes casos estão a ser investigados pela Polícia Judiciária.