O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

quinta-feira, agosto 04, 2005

Relações de vizinhança

Caros camaradas:

Sou uma ex-vizinha. Trabalhei durante muitos anos n' O Primeiro de Janeiro e muitas vezes partilhei com jornalistas d' O Comércio do Porto aquele sentimento de indignação e inconformismo por situações de injustiça laboral, de oportunismo, prepotência e manipulação, resultante de entidades patronais malabaristas, indiferentes a tudo o que não satisfizesse a sua cega ambição de lucro, para as quais os trabalhadores são meras peças de uma máquina de usar e deitar fora.
Usar até à exaustão para depois deitar fora sem hesitações.

Fomos vizinhos. Da Rua Coelho Neto à Rua Fernandes Tomás, nunca houve barreiras nem distância. Antes, proximidade, partilha, solidariedade, camaradagem, cumplicidade.

Fomos vizinhos. Muitas vezes pedimos uns aos outros um bocado de sal ou de açúcar.

Hoje, estou longe. Mas escrevo estas linhas para de novo, me aproximar. Estou mais perto do que nunca. Estou convosco. E trago comigo um bocado de sal e açúcar. Se vos sobrar, guardem. Nunca se sabe quando voltaremos a precisar.

Saudações jornalísticas

PS: Um fim é, por natureza, um recomeço. Por isso, cito Óscar Wilde: "Um ovo é sempre uma aventura - ele pode ser diferente"

Sofia Meneses

2 Comments:

  • At 04 agosto, 2005 22:18, Blogger Pedro Bessa said…

    Que bom ter notícias tuas, Sofia. Há quanto tempo...

    Beijinhos
    Pedro Bessa

     
  • At 05 agosto, 2005 19:29, Blogger Salomé Castro said…

    Olá Sofia,
    Alguns anos já se passaram desde os tempos do Janeiro... foi contigo que me iniciei na área da Cultura (...o "Se7e", o "Das Artes Das Letras"...).
    Obrigada por me teres ajudado a dar os primeiros passos em solo jornalístico e, em particular, na área da Cultura - onde me mantive até hoje.
    A ocasião é triste mas foi com uma satisfação enorme que te "reencontrei".
    Até sempre. Beijo.

    Salomé Castro

     

Enviar um comentário

<< Home