O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

sexta-feira, agosto 26, 2005

Ovar: PSD está a criar dificuldades e a entravar o desenvolvimento do concelho

PS de Ovar reage a suspeição levantada pelo PSD sobre ligações perigosas a grupo económico

Francisco Manuel

O PS de Ovar acusa o PSD de criar dificuldades e a entravar o desenvolvimento do concelho. Em reacção à denúncia feita pelos social-democratas à Comissão Nacional de Eleições (CNE) e à Entidade das Contas e Financiamentos Políticos do Tribunal Constitucional (ECFP-TC), sobre as alegadas “ligações perigosas e ilegais entre o partido socialista” e o grupo Amorim”. O PS reafirma que não existe qualquer ligação entre o partido e o Grupo Económico.

Num extenso comunicado os socialistas afirmam que as “insinuações e falsidades como aquelas a que temos vindo a assistir prejudicam a imagem de instituições e todo o tipo de parcerias”. Na perspectiva do PS o “PSD está desesperado”, porque, dizem os socialistas, “as suas próprias sondagens atribuem-lhe uma derrota histórica”. Numa alusão ao slogan de campanha de Álvaro Santos, candidato laranja, o PS afirma que a única “mudança a sério” é “a insinuação caluniosa”.

Considerando “atordoadas” as denúncias do PSD, não evitam uma crítica à sua campanha afirmando que a sua estratégia é “despesismo visível e escandaloso (em tempo de sacrifícios)”, e que “o logro é a sua arma preferida, entre outras coisas, porque anuncia e publicita Luís Filipe Menezes como o mandatário de campanha que nunca existiu”.

Recorde-se que o “verniz” estalou entre os socialistas e social-democratas, esta terça-feira, depois do PSD pedir à CNE e publicidade para averiguar as ligações dos “rosas” ao Grupo Amorim, depois da publicidade ao “Novotel”, aparecer em fundo num outdoor de Manuel Oliveira, candidato socialista à Câmara. Segundo os socialistas tudo não passa de “uma calúnia” afirmando que com esta postura o PSD “só está a prejudicar o Concelho de Ovar”.

Lembram que o Sportsfórum, empreendimento que irá construído pela Amorim Imobiliária, subsidiária do Grupo Amorim, “é uma parceria público-privada, formalizada através de protocolo aprovado por unanimidade em Reunião de Câmara de 16 de Maio de 2002, que vem sendo trabalhada há vários anos e que vai trazer emprego (850 postos de trabalho). Convém lembrar que o Plano de Pormenor da Zona Lúdico-Desportiva a Norte de Ovar (onde o Sportsfórum e o futuro projecto da ADO – Futebol se integrarão), foi aprovado por unanimidade (PS e PSD) em Reunião de Câmara de 1 de Março de 2005, após cumprimento de todas as formalidades legais, obtenção dos pareceres das entidades competentes exteriores ao município, e foi aprovado pela Assembleia Municipal, também por unanimidade, em 4 de Março de 2005”.

Em resposta o director de campanha do PSD, Alexandre Rosas, esclarece que “a única coisa que o PSD fez foi pedir às entidades competentes que averiguassem eventuais ligações entre o Grupo Amorim e o PS de Ovar”. Afirma ainda que “não foi uma acusação, mas simplesmente um pedido de averiguações”. “Não podemos deixar de considerar escandaloso que no cartaz do candidato e actual presidente de Câmara, apareça a publicidade a um Grupo Económico que há menos de dois meses estabeleceu uma parceria com a autarquia”.

Alexandre Rosas não compreende “este alarido todo”, porque para o PSD “bastava que fizessem os esclarecimentos que achassem convenientes, e nós daríamos o assunto como encerrado”.

Para o PSD “tudo não passa agora de um aproveitamento político dos socialistas, que querem passar à táctica da vitimização”. Afiançam, também que “nunca esteve em causa o Sportsforum, empreendimento que o PSD aplaude, e prova disso é que o próprio candidato, Álvaro Santos esteve na sua apresentação pública”. “Agora, isso não pode traduzir-se num eventual beneficio para o PS”, sublinha.

Quanto à alegada sondagem interna do PSD evocada pelo PS que daria uma “derrota histórica” aos social-democratas, Alexandre Rosa, afirma que o “desespero dos socialistas leva-os a fazer uma enorme confusão, porque no PSD desconhecemos essa sondagem”.