O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

sexta-feira, agosto 19, 2005

Notas soltas de Paredes de Coura

Pois é camaradas, a malta do Comércio do Porto é mesmo muito especial. Os últimos quatro dias em Paredes de Coura foram prova disso mesmo. Pelas verdejantes artérias da rupestre vila minhota, transformada por alguns dias no epicentro de explosão de milhares de decibéis, deambularam alguns dos jornalistas que vinham fazendo (e voltarão a fazer) parte do nosso CP. Além da minha pessoa, pelo menos também o Sérgio Pires, a Maria João Leite, a Marlene, a Ana Isabel Pereira, a Ana Cristina Gomes, o Pedro Granadeiro e, pelos vistos, o grande Guilherme Soares (então estiveste lá e não me telefonaste?) , não perderam a oportunidade de ver "in loco" alguns dos melhores momentos musicais com que temos sido presenteados nos últimos anos. Começo por destacar, por motivos sentimentais, os "dinossauros" (no caso do Frank Black será mais uma baleia, tal a gordura que o homem vem acumulando no corpo) Pixies, que já esperava ver há muitos anos. Poder vê-los a poucos metros de distância, apesar de estarem longe da melhor forma, foi um privilégio que jamais olvidarei. Da idílica "Wave of mutilation", até "Gigantic", cantada pela baixista Kim Deal, e passando por hinos como "Where is my mind?" e "Hey", o quarteto levou ao rubro o repleto anfiteatro natural de Paredes. Bonito, arrepiante... Devido às muitas actividades paralelas levadas a cabo no festival, acabei por perder alguns concertos que, ao que ouvi, valiam a pena ter sido vistos com atenção. Dos muitos que vi, sou ainda obrigado a destacar a extraordinária energia de Nick Cave, bem como as agradáveis surpresas que foram os Queens of the Stone Age (ainda me doem os ouvidos) e os The Roots. Para acabar, já que a prosa vai longa, nota negativa para os Foo Fighters. Perdoem-me os fãs dos norte-americanos, mas acho que se exigia muito mais a alguém que tem como líder um ex-Nirvana... Para o ano, lá estaremos! PS: Para acabar, apenas uma referência à trupe que me acompanhou ao Minho. Aos já referidos Serginho, Aninha Pereira e Marlene, acrescento o Popeye (e não é que o homem adora mesmo espeinafres?) e a Cândida. Thanks for everything seus maluco(a)s!

3 Comments:

  • At 20 agosto, 2005 17:50, Blogger Guilherme Soares said…

    ´Só lá estive uma noite. Parece-me

     
  • At 20 agosto, 2005 17:52, Blogger Guilherme Soares said…

    Parece-me, dizia eu, que as tuas actividades paralelas não te permitiram ver/ouvir o melhor concerto do festival: Arcade Fire. Cuidado, Pedro, com essas actividades...

     
  • At 22 agosto, 2005 13:02, Blogger Juanita said…

    Ao que sei, e sublinho ao que sei, só lá estiveste uma noite, Guilherme. Eu vi-te, ainda te lembras??? lol:) Por motivos sentimentais também gostei mais do concerto dos Pixies, mas ficarão para sempre guardadas as actuações do Nick Cave e dos Arcade Fire... Sim senhor, gostei de ver!

     

Enviar um comentário

<< Home