O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

terça-feira, agosto 02, 2005

A formiga no carreiro...

Uma vénia devida a um companheiro de mil e uma lutas n'O Comércio e não apenas: o Ricardo Santos, com quem passei um dos momentos mais hilariantes da minha vida, depois de uma certa noite de chuva na Ribeira. Ele sabe do que estou a falar. Um abraço do tamanho do Mundo e dá-lhe com força quando cantares:

«A formiga no carreiro
Vinha em sentido contrário
Caiu ao Tejo
Ao pé dum septuagenário
Larpou trepou às tábuas
Que flutuavam nas àguas
E de cima duma delas
Virou-se prò formigueiro
Mudem de rumo
Já lá vem outro carreiro»

Paulo Horta