O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

quinta-feira, agosto 04, 2005

Cinzas

A chuva de cinzas voltou. Dei por ela na sala de espera da segurança social de Gondomar. A minha roupa branca estava a ficar preta. E eu ali com um papel e o número 113. No placard ainda o 77. Duas horas de espera, foi o que me aconteceu. E nem era para o subsídio de desemprego. Nem de propósito recebi uma carta da segurança social onde se lê que devo as contribuições de Julho de 2004 a Abril deste ano. Pelo trabalho como independente. É verdade que tenho actividade aberta, mas pago as minhas contribuições e impostos como trabalhador dependente e não pretendo pagar duas vezes. Pelos vistos há muitas outras cartas como esta e com o mesmo equívoco. Resultado? Serviços entupidos (ainda por cima em época de férias) e uma trabalheira para esclarecer o engano. Bom assunto para fazer notícia.
A propósito, também já assinei. Mas como vamos continuar a ver-nos por aí, quanto mais não seja na blogosfera, não me despeço de ninguém.
Pelo direito ao trabalho!
Bárbara Soares

5 Comments:

Enviar um comentário

<< Home