O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

quinta-feira, agosto 04, 2005

Chamas devoram habitações e obrigam a evacuar povoações em Arouca

Francisco Manuel


Três povoações tiveram de ser evacuadas ao final da manhã em Arouca por causa de um violento incêndio que lavra desde esta manhã naquele concelho e que está neste momento incontrolável, informou o comandante dos Bombeiros de Arouca, Carlos Esteves. As constantes mudanças de direcção do vento e os pequenos focos que vão surgindo de trezentos em trezentos metros são as principais razões que impedem os bombeiros de suster os avanços das chamas, que lavram em várias frentes, e já consumiram algumas casas.
“O fogo quase cercou as povoações dos Lugares de Janarde, Ponde de Telhe e Sobral que tiveram de ser evacuadas”, informou fonte da GNR. Desconhece-se, ainda se as casas consumidas pelas chamas fora destas povoações estariam, ou não, habitadas, segundo fontes dos bombeiros e da GNR.
“Não se pode fazer um ponto exacto da situação neste momento, porque ela é generalizada e neste momento caminha em direcção a Castelo de Paiva”, disse a OCOMERCIODOPORTO.BLOGSOPT.COM, o comandante dos bombeiros. Algumas estradas estão também cortadas por causa das chamas, como é o caso da nacional de que liga Arouca a S. Pedro do Sul. Cerca das 13horas o fogo era combatido por uma centena de bombeiros apoiados por um helicóptero, mas ao início da tarde começaram a ser mobilizados mais meios, quer terrestres, quer aéreos.
Também no concelho vizinho de Vale de Cambra, em Paraduça, um fogo que já lavra desde terça-feira à tarde continuava não circunscrito e mobiliza 11 bombeiros apoiados por 28 veículos, segundo o Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNBPC). Neste caso não existem povoações em perigo.
No norte do distrito de Aveiro, as nuvens de fumo negro turvaram o dia soalheiro, e as cinzas começaram a entrar para dentro das casas.
Pouco antes do meio-dia no concelho de Penafiel, em St.ª Cruz lavrava um incêndio que estava a ser combatido por 67 bombeiros, apoiados por 19 veículos, enquanto em Amarante, em Lugar S. João, estavam 46 bombeiros, apoiados por 11 veículos a combater um outro fogo. No Marco do Canaveses em Pinheiral um pequeno incêndio mobilizava 17 bombeiros, apoiados por 4 veículos.
No concelho de Leiria, em Valongo, 249 bombeiros, apoiados por 70 veículos também tentavam suster as chamas.

2 Comments:

Enviar um comentário

<< Home