O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

sexta-feira, agosto 19, 2005

Boavista sem Nélson

Para completar o "post" anterior, resta referir que o Boavista atingiu um dos objectivos a que se propõe em cada defeso, ou seja, vender um activo para reforçar a estabilidade financeira, depois de ter rescindido o contrato com Éder, um dos jogadores a auferir um salário elevado, que não era regularmente utilizado. Para o lugar de Nélson, e apesar de não ter acompanhado esta primeira fase da "era Carlos Brito", julgo estarem reunidas soluções de qualidade, sobretudo Manuel José, ex-Vitória de Setúbal, contratado - também - a pensar na possível saída do reforço do Benfica. Aliás, o Boavista garantiu, em comunicado, não estar prevista a contratação de mais nenhum jogador, para o lugar do cabo-verdiano. De resto, a formação axadrezada prepara o embate de amanhã com o Vitória de Setúbal, na primeira jornada da Liga 2005/06, com afinco. Entretanto, e na resposta a uma notícia do "Semanário Económico", que denuncia dívidas de vários clubes das competições profissionais, como o Boavista, ao Fisco, a SAD axadrezada difundiu o seguinte comunicado:

1. O Boavista F.C. tem a sua situação relativamente ao Fisco e Segurança Social regularizada;

2. A Boavista F.C., Futebol, SAD apresentou tempestivamente, como aliás é público, um Procedimento Extrajudicial de Conciliação, nos termos legais, e por iniciativa própria, que já mereceu a concordância do Fisco e da Segurança Social, para pagamento de débitos contraídos sobretudo na fase final de contrução do Estádio do Bessa Séc. XXI;

3. O valor de tais débitos é muito inferior ao noticiado, sendo como tal o montante da dívida significativamente mais baixo, estando o seu valor final a ser apurado em conjunto entre esta SAD e a Administração Fiscal;

4. De qualquer forma, nada deveria esta SAD com certeza caso o Boavista F.C. tivesse tido os apoios que todos os outros tiveram na construção dos seus Estádios para o Euro 2004, ou mesmo sem participarem em tal evento. Com efeito, a SAD foi co-garante no pagamento do Estádio do Bessa Séc. XXI, o que motivou dificuldades temporárias;

5. Para além da discriminação havida, que desde sempre denunciámos e não foi jamais corrigida, é ainda o Estado devedor ao Boavista F.C. de cerca de 1,5 Milhões de Euros da comparticipação a que temos direito, não obstante várias solicitações nossas sem êxito, e apesar de o Estádio do Bessa Séc. XXI estar já acabado há mais de 20 meses ...

6. No entanto, devido a diversas medidas corajosas implementadas para a redução dos custos, apresentadas aliás em conjunto com o requerimento do P.E.C., a situação actual é de total reequilíbrio económico-financeiro, tendo a SAD há muito retomado os seus pagamentos ao Fisco e Segurança Social.

7. Para além de todas as medidas já implementadas, está em curso um Aumento de Capital, também do conhecimento público, de onze para vinte milhões de euros, cuja realização prevemos até final do presente ano, que possibilitará a liquidação efectiva e integral de todos os débitos desta SAD e a solidificação e incremento dos seus Capitais Próprios.

Porto, 19 de Agosto de 2005

A Administração da Boavista F.C., Futebol, SAD
A Direcção do Boavista F.C.