O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

sábado, agosto 06, 2005

Argentina será a grande adversária de Portugal no mundial de hóqueis em patins





Francisco Manuel (texto)
Paulo Oliveira (foto)





A selecção argentina será a grande adversária de Portugal que daqui a pouco, frente a Angola, começa a defender o título mundial conquistado em 2003 em Oliveira de Azeméis. Esta é a convicção do ex-seleccionador nacional em declarações exclusivas a OCOMERCIODOPORTO.BLOGSPOT.COM, que aponta a Itália como o out-sider dos habituais quatro pretendentes ao ceptro máximo do hóquei patinado.




O técnico campeão do mundo sustenta que a renovação que está a ser feita no seleccionado italiano, com ausência de alguns dos jogadores mais famosos não permitirão aos tifosi saborear o título que começa hoje a ser disputado nos Estados Unidos. Por outro lado a Espanha, com três dos seus melhores jogadores também ausentes, e que eram até agora a espinha dorsal da equipa, retiram-lhe, na opinião de Vítor Hugo, a experiência necessária para chegar à final. “A Espanha não estará no seu melhor momento”, afirma. Desta forma Vítor Hugo elege selecção argentina como aquela que será a grande adversária do cinco de José Querido. O ex-técnico nacional aponta ainda Panchito como o grande jogador do momento na Argentina, que “está, actualmente, para o hóquei em Patins, como o Maradona para o futebol”. “Não podemos também esquecer que esta selecção da Argentina é, a par de Portugal, uma das mais dotadas tecnicamente”. “Campeão do Mundo contra tudo e contra todos” Depois de se ter sagrado campeão do mundo há dois anos em Oliveira de Azeméis, “contra tudo e contra todos”, Vítor Hugo não mais voltou a sentar-se num banco. O “bichinho” ainda ali está, mas agora o “vício” mata-se com alguns treinos na Académica de Espinho, um dos seus grandes amores a par do F.C. Porto e da selecção nacional. Sem querem reavivar polémicas antigas, e muito menos falar nas razões que levaram à sua saída, Vítor Hugo, apenas afirma que saiu “com o dever cumprido”, mas acrescenta, embora sem concretizar: “Somos um país de pessimistas, onde temos inveja do sucesso dos outros”. O ex-seleccionador afirma que houve necessidade de fazer alguma formação, apostar em novos jogadores, mas “mexi com certas pessoas que tinham o seu ‘status’, o que levou a uma alteração de comportamento”. Sem querem concretizar as suas afirmações o técnico campeão do mundo, sublinha que o futuro lhe deu razão, e por isso, diz, “não estou arrependido das escolhas que fiz: jogadores, grupo de trabalho e estalagem para o estágio”. Na actual equipa nacional, Vítor Hugo lembra que estão cinco campeões do mundo, o que poderá ser uma mais valia na defesa do título. Prenúncio? Quando saía, Vítor Hugo despediu-se de nós desta forma: “Até à próxima, vemo-nos pelo COMÉRCIO, bom, quanto mais não seja no blog”.

1 Comments:

  • At 08 agosto, 2005 00:45, Blogger josevinha said…

    O Manel tá em todas. O Manel que é Lume... esse gajo tem ar de comunista. Será? Um xi enorme para o repórter fotográfico mais teso que conheço

     

Enviar um comentário

<< Home