O Comércio do Porto

Num período em que deixou de haver papel para a tinta correr, os jornalistas e demais trabalhadores de O COMÉRCIO DO PORTO encontram neste espaço a via para o exterior, por forma a manter viva a alma do jornal mais antigo de Portugal continental. Envie as suas mensagens para comercio151@hotmail.com

segunda-feira, agosto 01, 2005

Hoje custou-me...

1.Hoje custou-me chegar à papelaria na rua de mártires da liberdade e não poder comprar o Comércio do Porto.
O dono da papelaria mostrou-me que tirou todos os jornais da porta de entrada para deixar, no centro e em destaque, um exemplar do número de ontem ( que, com toda a esperança, não será o último ). Era a sua homenagem.
Disse-me que já tinha discutido com vários clientes porque se recusara a vendê-lo. Os exemplares disponíveis esgotaram em uma hora.

2. A cidade do Porto perdeu o seu Jornal. O meu avô materno comprava o Comércio e todos nós, portuenses, crescemos com ele. Nos últimos tempos tive o previlégio de ver o Trabalho de alguns de vocês e de ouvir elogios que vos eram dirigidos por colegas de outros jornais.Tive o previlégio de vos ver a lutar pela Justiça de causas como o Bolhão com as armas que têm: a verdade dos factos. Obrigado. E,até breve.

Enviado por: Ricardo Salazar

3 Comments:

  • At 31 julho, 2005 19:58, Anonymous Anónimo said…

    Do que é que estavam à espera com a escolha de um tal Rogério Gomes para director?
    Os "bluffs" enganam por pouco tempo.

     
  • At 31 julho, 2005 20:46, Anonymous Anónimo said…

    O Comércio do Porto voltará um dia. Não morre assim uma publicação com 150 anos de história.

     
  • At 01 agosto, 2005 09:24, Blogger AM said…

    Meus amigos

    Um grande abraço de solidariedade.

    Até sempre.

    António Moreira

     

Enviar um comentário

<< Home